Saiba o que é a exoftalmia e suas possíveis consequências

Causas de lacrimejamento excessivo
4 de julho de 2018
Cirurgias oculoplásticas vão muito além da estética
7 de agosto de 2018
Exibir tudo

O que é exoftalmia?

A exoftalmia, também chamada de exoftalmo, proptose ou exorbitismo (do grego: ex=fora + ophthalmos=olho) é uma condição médica em que o paciente apresenta uma protrusão de um ou dos dois olhos para fora da órbita. A exoftalmia exibe uma proporção maior do que normal da parte branca dos olhos, fazendo os olhos parecerem “arregalados”.

Quais são as causas da exoftalmia?

A causa mais comum de exoftalmia é a doença de Graves, uma doença autoimune que leva ao hipertireoidismo (hiperatividade da glândula tireoide), mas pode ser devida a outras causas como tumores, inflamações, infecções, hemorragias, entre outros.

Qual é a fisiopatologia da exoftalmia?

Como a órbita, local onde o olho fica, é uma caixa óssea fechada posterior, superior, inferior, medial e lateralmente, qualquer aumento de volume das estruturas localizadas no seu interior fará com que o olho se desloque para frente.

Como o médico diagnostica a exoftalmia?

A existência da exoftalmia pode ser reconhecida pela simples inspeção ou com um instrumento chamado exoftalmômetro, mas o mais importante é diagnosticar o aparecimento de outros sintomas além das protrusões dos olhos e entender como eles se relacionam com a exoftalmia. Depois do exame físico dos olhos, o médico poderá pedir exame para entender melhor a causa da exoftalmia, tais como, testes sanguíneos e exames de imagens, como tomografia computadorizada e ressonância magnética.

Como o médico trata a exoftalmia?

O tratamento da exoftalmia varia segundo as suas causas. Corticoesteroides podem ser receitados para ajudar no controle de doenças inflamatórias.  As exoftalmias provocadas por infecções devem ser tratadas com antibióticos e as provocadas por tumores podem necessitar de tratamentos mais invasivos, como por meio de cirurgia ou radioterapia, por exemplo. Pacientes com oftalmopatia de Graves em fase adiantada devem se submeter à descompressão da órbita, cirurgia que visa a diminuir o conteúdo orbitário, fazendo o olho retornar para dentro da órbita.

Quais são as complicações possíveis da exoftalmia?

Se não for tratada, a exoftalmia pode fazer com que as pálpebras deixem de fechar completamente, o que leva à secura do globo ocular, vermelhidão e a danos da córnea.
Alguns pacientes com exoftalmia podem sofrer compressão do nervo óptico e ficarem cegos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *