Protegido: Uso excessivo de celulares e tablets aumenta casos de miopia entre mais jovens
26 de setembro de 2018
Ptose Palpebral: O que é, e qual a solução
28 de novembro de 2018
Exibir tudo

Quando percebemos o olhinho do bebê lacrimejando, logo vem à nossa cabeça que ele pode estar com conjuntivite. Não pensamos em outra hipótese. Mas sabia que, em muitos bebês, principalmente recém-nascidos, o canal lacrimal não está totalmente aberto e aí faz com que apresentem sintomas de lacrimejamento e secreção? É a obstrução das vias lacrimais (ou canal lacrimal entupido).

Os sintomas de canal lacrimal entupido e conjuntivite são parecidos, porém com algumas diferenças.

DOUTORA, O OLHINHO DO MEU BEBÊ ESTÁ LACRIMEJANDO. SERÁ QUE É CONJUNTIVITE?

Essa é uma pergunta bem frequente e deixam os pais muito ansiosos pela possibilidade de ser conjuntivite! Mas a causa mais comum de lacrimejamento dos recém-nascidos é a obstrução das vias lacrimais. O canal lacrimal comunica a superfície ocular com o nariz e é por esse canal que a maior parte da lágrima é drenada. É por esse motivo que quando choramos o nosso nariz escorre.

Aproximadamente 70% dos recém-nascidos apresentam essa obstrução. Porém, apenas de 2 a 20% apresentam lacrimejamento. Isso porque a obstrução, geralmente, resolve-se espontaneamente. A causa mais frequente para que isso ocorra consiste em uma imperfuração de uma membrana na região da válvula de Hasner. Essa válvula fica na região do Canal Lacrimonasal, perto do nariz.

 

COMO POSSO SUSPEITAR QUE O MEU BEBÊ TEM OBSTRUÇÃO DAS VIAS LACRIMAIS?

O quadro clássico de obstrução congênita de vias lacrimais é o lacrimejamento ocular de um ou ambos os olhos. Às vezes com secreção que tem aspecto de muco. É importante ressaltar que nas crianças com o canal lacrimal obstruído (entupido), geralmente os olhos estão saudáveis, sem sinais de inflamação ou infecção.

O QUE DEVO FAZER QUANDO SUSPEITAR DO PROBLEMA?

É muito importante que o bebê seja avaliado durante consulta pediátrica ou oftalmológica. Somente um médico poderá orientar o tratamento e, enfim, indicar avaliação do especialista em vias lacrimais).

QUAL É O TRATAMENTO?

Felizmente, 90% das crianças com lacrimejamento devido à obstrução congênita do canal lacrimal apresentam cura espontânea nos primeiros meses de vida. O tratamento consiste em:

Orientação aos pais;
Higiene dos olhos com algodão embebido em soro fisiológico 0,9% ;
Massagem de Crigler (que deverá ser orientada pelo médico que acompanha o caso do bebê);
A sondagem das vias lacrimais ou cirurgia dos canais lacrimais são reservados para os casos que não têm resolução com massagem. Geralmente, são realizadas após o primeiro aninho de vida do bebê por um médico especializados em vias lacrimais (cirurgião Oculoplástico).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *